sábado, 15 de julho de 2017

O ACERTO DE CONTAS DE UMA MÃE - A vida após a tragédia de Colombine (Sue Klebold)

Sinopse: Um livro forte e inquietante narrado pela mãe de um dos responsáveis pela a tragédia de Columbine. 
Em 20 de abril de 1999, Eric Harris e Dylan Klebold se armaram com pistolas e explosivos e entraram na Escola de Ensino Médio de Columbine, na cidadezinha de Littleton, Estados Unidos. Em questão de minutos, mataram doze estudantes e um professor e feriram outras vinte e quatro pessoas, antes de tirar a própria vida. Desde então, Sue Klebold, mãe de Dylan, convive com a dor e a vergonha indescritíveis por aquele dia. Como seu filho, o jovem promissor que ela criou com tanta dedicação, pôde ser responsável por tamanho horror? E como, convivendo com ele diariamente, ela não percebeu que havia algo errado? Houve sinais sutis que ela não captou? O que ela poderia ter feito diferente? Essas são perguntas com que Sue se debate todos os dias desde a tragédia de Columbine. 
Em O Acerto de Contas de Uma Mãe, ela narra com honestidade rigorosa sua jornada para tentar lidar com o incompreensível. Na esperança de que os insights e o entendimento que ela obteve ao longo dos anos possam ajudar outras famílias a reconhecer quando um adolescente está com problemas, Sue conta sua história na íntegra, recorrendo a seus diários pessoais, aos vídeos e escritos que Dylan deixou e a inúmeras entrevistas com especialistas em saúde mental.

Meus comentários: Livro dificil de ler, assunto ainda mais dificil de se posicionar. No inicio da leitura, senti compaixão tanto pela mãe quanto pelos demais integrantes da familia e foi com essa compaixão que li o livro todo. Embora seja um relato doloroso possibilita ao leitor um pequeno vislumbre do outro lado da moeda, coisa rara. Acredito que tenha sido necessária muita coragem para abordar o assunto e percebo, como leitora, que fui poupada dos detalhes mais sórdidos da narrativa, que tenho certeza ocorreu por parte da população através da comoção social, da imputação de culpa, da exclusão. Percebe-se também o esforço dessa mãe, obrigada a lidar com o horror público e com seu próprio horror intimo. Não me atrevo a condenar erros de concordância, prolixidade e outros pequenos deslizes que porventura o livro tenha, uma vez que a narradora se esforça para ser coerente e não se prende a lamentações. Em termos gerais, uma rara experiência, o lado feio da vida.

NA ESCURIDÃO DA MENTE (Paul Tremblay)

Sinopse: Um dos livros mais assustadores do ano, vencedor do prêmio Bram Stoker Award. A vida dos Barrett é virada do avesso quando Marjorie, de 14 anos, começa a demonstrar sinais de esquizofrenia aguda. Depois que os médicos se mostram incapazes de deter os acessos bizarros e o declínio de sua sanidade, o lar se transforma em um circo de horrores, e a família se vê recorrendo a um padre da região. Acreditando que seja um caso de possessão demoníaca, o padre Wanderly sugere um exorcismo e entra em contato com uma produtora que está ávida para documentar tudo. Com o pai de Marjorie desempregado e as dívidas se acumulando, a família hesitantemente aceita, sem imaginar que A Possessão se tornaria um sucesso imediato. Quinze anos depois, uma autora best-seller entrevista Merry, a irmã mais nova de Marjorie. Ao se recordar dos acontecimentos de sua infância, uma narrativa alucinante de terror psicológico é desencadeada, levantando questões sobre memória e realidade, ciência e religião... e sobre a real natureza do mal.

Meus comentários: O livro realmente surpreende num desfecho não esperado. O enredo é um tanto caótico, uma vez que baseia-se no relato de uma protagonista ainda adentrando na adolescência. Não considerei um livro de terror, antes um relato de escolhas equivocadas e interesses escusos. Valeu a leitura pelo inesperado, um fator a alterar toda a essência dos acontecimentos e a visão do leitor.

MESTRE DAS CHAMAS (Joe Hill)

Sinopse: Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. 
Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas.
Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto.
O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus.
Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera. Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança. 
Do aclamado autor de A estrada da noite, este livro é um retrato indelével de um mundo em colapso, uma análise sobre o efeito imprevisível do medo e as escolhas desesperadas que somos capazes de fazer para sobreviver.

Meus comentários: O enredo é bom e de certa maneira prende a atenção e pode se transformar num filme com muitos efeitos especiais e sucesso de bilheteria, com certeza. Mas, para meu gosto, o autor se estendeu um pouquinho demais na narrativa, o que tornou a leitura um tanto cansativa. Fora isso, vale a leitura.