sábado, 30 de dezembro de 2017

O POMAR DAS ALMAS PERDIDAS (Nadifa Mohamed)

Sinopse: Hargeisa, segunda maior cidade da Somália, 1987. A ditadura militar que está no poder faz demonstrações de força, mas o vento que sopra do deserto traz os rumores de uma revolução, e em breve, pelos olhos de três mulheres, vamos assistir ao mergulho do país em uma sangrenta guerra civil.Aos 9 anos, atraída pela promessa de ganhar seu primeiro par de sapatos, a menina Deqo deixa o campo de refugiados onde nascera. Em circunstâncias dramáticas, conhece Kawsar, uma viúva que logo em seguida é presa e espancada por Filsan, uma jovem soldado que deixara a capital para reprimir a rebelião que crescia no norte. Intimista, singelo e poético, O pomar das almas perdidas nos lembra de que a vida sempre continua, apesar do caos e do sofrimento.

Meus comentários: Africa de contrastes, onde pequenos sonhos se enveredam por entre o caos de realidades inóspitas e a força da vida empurra os cidadãos, os força a permanecer num mundo de carências, fomes, ausências. Três vidas que se entrelaçam, três mulheres que enveredam por caminhos diferentes para encontrarem o mesmo final. Fica, ao final da leitura, um medo de que hora dessas acabemos  conhecendo uma realidade similar, onde corrupçã o, fanatismo e caos predominem. Gostei do livro, mormente o trágico gritante a cada página.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

O JARDIM DAS BORBOLETAS (Dot Hutchison)

Sinopse: Quando a beleza das borboletas encontra os horrores de uma mente doentia. Um thriller arrebatador, fenômeno no mundo inteiro Perto de uma mansão isolada, existia um maravilhoso jardim. Nele, cresciam flores exuberantes, árvores frondosas... e uma coleção de preciosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. Cada uma delas passa a ser identificada pelo nome de uma espécie de borboleta, tendo, então, a pele marcada com um complexo desenho correspondente. Quando o jardim é finalmente descoberto, uma das sobreviventes é levada às autoridades, a fim de prestar seu depoimento. A tarefa de juntar as peças desse complexo quebra-cabeça cabe aos agentes do fbi Victor Hanoverian e Brandon Eddinson, nesse que se tornará o mais chocante e perturbador caso de suas vidas. Mas Maya, a enigmática garota responsável por contar essa história, não parece disposta a esclarecer todos os sórdidos detalhes de sua experiência. Em meio a velhos ressentimentos, novos traumas e o terrível relato sobre um homem obcecado pela beleza, os agentes ficam com a sensação de que ela esconde algum grande segredo.

Meus comentários: O enredo é bom, mas o formato não caiu no meu agrado. Assim também o desfecho, embora dentro dos padrões, poderia ser melhor desenvolvido. Para mim faltou aquele fogo que leva o leitor a seguir em frente na leitura, ansiando e ao mesmo tempo não desejando chegar ao final do livro. Faltou suspense

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

OS DEUSES DA CULPA (Michael Connelly)

Sinopse: Quando o advogado Mickey Haller recebe a mensagem Me liga urgente 187, o código penal para assassinato logo chama sua atenção. Casos assim são sempre os mais complicados e os que pagam melhor, o que significa que ele não pode falhar.Mas quando descobre que a vítima é uma ex-cliente, uma prostituta que ele ajudou a tirar das ruas, Mickey sente que sua reputação está em jogo. A vítima estava de volta a Los Angeles e de volta à prostituição mas por quê de repente, Mickey percebe que, em vez de salvá-la, pode ter sido ele a colocá-la em perigo. É hora de confrontar seu passado, e Haller precisará de todo seu talento e esperteza para cuidar de um caso que pode ser sua redenção ou a prova de toda a sua culpa.

Meus comentários: Essencialmente de tribunal, o livro nos dá uma idéia bastante clara sobre o funcionamento da justiça criminal americana. Narrativa boa, a leitura não se arrasta, não cansa, e a trama é bem recheada de mistérios e ação. Gostei.