sábado, 2 de dezembro de 2017

UM MUNDO À PARTE (Jodi Picoult)

Sinopse: Jacob Hunt é um adolescente com síndrome de Asperger, uma forma leve de autismo. Ele é péssimo para interpretar pistas sociais e se expressar diante dos outros e, como muitas pessoas com essa condição, tem fixação por um único tema - no caso dele, análise forense. Jacob vive aparecendo em cenas de crimes, graças ao rádio de polícia que tem em seu quarto, e dando conselhos aos policiais sobre o que fazer... e geralmente ele está certo. Mas de repente sua pequena cidade é abalada por um assassinato terrível, e dessa vez é a polícia que vem atrás dele para fazer perguntas. De uma hora para outra, Jacob e sua família, que só querem levar uma vida normal, estão diretamente sob os holofotes. Para sua mãe, Emma, esse é um lembrete brutal da intolerância que sempre ameaçou sua família. Para seu irmão, Theo, é mais uma indicação de que nada pode ser normal por causa de Jacob. E, sobre essas pessoas tão ligadas entre si, paira a dúvida que consome a todos - Será que Jacob cometeu homicídio?

Meus comentários: Em alguns momentos da leitura achei um tanto repetitivo o enredo, mas o livro é muito interessante na medida em que dá ao leitor alguns conhecimentos sobre a convivência com um portador de Asperger, assim como transmite a vida sob a ótica do próprio portador da doença. E  o faz de maneira simples, acessível, sem a pretensão de ser técnico. Faz pensar.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

ESCONDA-SE (Lisa Gardner)

Sinopse: Uma mulher que foi obrigada a fugir - desde criança - de uma possível ameaça. Uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Um antigo e desativado sanatório para doentes mentais que pode ter muito mais a esconder entre suas paredes do que homens e mulheres entorpecidos por remédios. Uma história de rancor entre membros de uma mesma família que nunca conseguiram superar os episódios de violência doméstica que presenciaram.
Um pingente que foi parar em mãos erradas - e a cena de um crime brutal: seis meninas mortas e mumificadas há mais de trinta anos. Agora, cabe à famosa detetive D.D. Warren descobrir quem foi o serial killer que cometeu esta atrocidade e que motivação infame deformou sua mente. Acompanhe D.D. Warren na solução de mais este complexo caso e encontre o inimaginável que está por trás de pessoas aparentemente comuns.

Meus comentários: De alguma forma, para mim não emplacou legal. O livro não é ruim e demorou bastante para desvendar o suspeito, mas achei um tanto fantasioso. Joga-se a suspeita sobre muitos personagens, para confundir, naturalmente, mas isso acaba cansando a leitura, deixando o enredo arrastado. Ademais, os assassinatos, que deveriam ser mais desenvolvidos não passaram de meras citações, além de um romance um tanto forçado, bastante incoerente com a trama proposta. Para mim esse é um dos defeitos dos livros em série. Embora tenham começo, meio e final, estão sempre remetendo a enredos anteriores e deixando brechas para continuações que, na maioria das vezes, se mostram desinteressantes.

NO BOSQUE DA MEMÓRIA (Tana French)

Sinopse: Novatos na divisão de Homicídios, Adam Ryan e sua inseparável companheira Cassie Maddox deparam-se com o maior caso de suas vidas quando um grupo de arqueólogos descobre o corpo de uma menina de apenas 12 anos na floresta de Knocknaree. Pressionados a encontrar os responsáveis pelo assassinato de Katharine Devlin, Ryan e Maddox embrenham-se em uma trama macabra que havia começado no dia 14 de agosto de 1984.
Naquela tarde de verão em Dublin, três crianças brincavam na floresta vizinha às suas casas quando misteriosamente desapareceram. Sabendo que os filhos conheciam intimamente a mata, os pais de Jamie Rowan, Adam Ryan e Peter Savage demoraram a desconfiar que houvesse algo de errado. Quando policiais e cães farejadores foram chamados para localizar os jovens desaparecidos, somente Ryan foi encontrado, sem nenhuma lembrança do que ocorrera com seus amigos. Jamie e Peter sumiram na floresta sem deixar pistas e o tenebroso caso foi arquivado pela polícia.
Enviado para longe do assédio da imprensa, Adam Ryan estudou em um colégio interno, desfez-se do passado e anos mais tarde se tornou policial. Apesar do esforço para manter o episódio em segredo, o detetive não pode ignorar as incríveis conexões entre o assassinato de Katharine Devlin e o sumiço de seus amigos vinte anos antes. Todas as vítimas tinham 12 anos e sofreram os ataques na mesma floresta. Para a mídia, as descobertas arqueológicas no antigo terreno da mata sugerem a ação de forças sobrenaturais.
Sem suspeitos para o crime, Ryan é obrigado a revisitar o local da tragédia que marcou sua infância. Arriscando colocar o dedo em feridas nunca cicatrizadas, o policial descobre que a solução do caso de Katharine Devlin também significa o fim do mistério do desaparecimento de Jamie e Peter. Para avançar nas investigações, o detetive precisa desvendar os segredos da floresta de Knocknaree e voltar os olhos para seu passado.

Meus comentários: No geral gostei bastante do enredo. Sim, é um tanto prolixo, entretanto, a trama é interessante e o fato de nem todos os mistérios terem sido devidamente resolvidos, para meu gosto particular, aproximou bastante a ficção da realidade. Nem todos os mistérios da vida acabam sendo resolvidos. Isso dá um gosto meio indigesto, mas faz parte, afinal, embora queiramos tudo preto no branco, o fato é que a realidade nem sempre nos vem de forma "amarradinha" e perfeita. Gostei.